Como conseguir capital de giro com refinanciamento?

Casal calculando como conseguir capital de giro.

Um dos maiores desafios para quem está começando a empreender é conseguir capital de giro para fazer com que o negócio dê os primeiros passos e, claro, já traga algum retorno. 

Algumas pessoas costumam criar um fundo de investimento por bastante tempo antes de tirar os planos do papel. Assim, elas começam seu negócio com dinheiro em caixa, e podem investir tanto em matéria prima e etapas de construção de marca, ambiente de vendas e divulgação, quanto ter capital de giro em si. 

Mas se você se interessa pelo mundo do empreendedorismo, já tem um bem próprio e se pergunta por onde começar, e de onde tirar este fundo de “impulsionamento” de negócio, ou quer aumentar a sua empresa e estender seu serviço, talvez seja a hora de pensar em um refinanciamento de imóvel. 

Para te ajudar nisso, preparamos este artigo com algumas dicas e diretrizes que podem te ajudar na decisão.

  1. Os fundamentos do refinanciamento para capital de giro;
  2.  As vantagens de refinanciar para empreender;
  3. Como se planejar e organizar seu capital de giro;
  1. Os fundamentos do refinanciamento para capital de giro:

Quando pensamos em capital de giro, é ideal, antes de mais nada, fazer um plano de investimento e de vendas, listando tudo o que é necessário para você fazer o seu negócio rodar. Essa listagem pode incluir, por exemplo, o pagamento de funcionários ou fornecedores e quais matérias primas serão usadas no seu negócio.

Ao conseguir visualizar tudo o que é necessário no seu empreendimento, fica muito mais fácil enxergar o quanto você precisa investir, e o quanto precisa receber de lucro para cobrir este investimento. 

Depois disso, deixa de ser uma tarefa difícil decidir ou não pelo refinanciamento. Isso porque, essa modalidade de crédito segue um formato padrão: o valor emprestado nunca poderá ser maior do que um terço do seu “salário”. Ou seja, se no final do mês você acumula 9 mil de renda bruta, o valor do seu crédito com o refinanciamento será de, no máximo, 3 mil reais mensalmente. Assim sendo, se após os seus estudos você descobriu que precisa de 2.500 como capital de giro mensal, está no lucro!

E é possível ir além: se o dinheiro que você já possui como lucro, mais o valor do crédito, somam uma boa quantia, significa que você tem uma solução segura, viável e que cabe no seu bolso para quitar, e pode até começar um fundo de investimento.

  1. As vantagens de refinanciar para empreender:

Sabemos que os prazos de pagamento do refinanciamento costumam ser mais longos do que os de empréstimos convencionais, e os juros muito mais baixos, em níveis surpreendentes. 

O passo a passo para realizar um refinanciamento de imóvel é rápido e, ao contrário do que se pensa, muito menos burocrático. 

Além disso, é importante ressaltar algumas coisas que podem ser uma vantagem especial para quem está buscando realizar um refinanciamento para gerar capital de giro:

  • Você pode refinanciar um imóvel residencial, o que significa que pode utilizar o seu próprio imóvel como garantia. Isso é uma facilidade já que muitas vezes as empresas são instaladas em imóveis alugados.Muitas vezes, imóveis comerciais estão localizados em áreas mais valorizadas, e costumam até possuir um valor mais alto na avaliação, o que aumenta seus créditos;
  • É possível alugar um imóvel financiado, desta forma, você pode tanto alugar o seu ponto, o que se torna um acréscimo a mais no seu capital de giro, quanto utilizá-lo sem qualquer problema;
  • O refinanciamento de imóvel permite reformas, então, se você está buscando, além de capital de giro, dinheiro para investir internamente, o momento é esse! Você pode reformar o seu imóvel, principalmente se isso for valorizá-lo, o que também pode acabar refletindo na avaliação do mesmo. 

São muitas as alternativas para aumentar ainda mais o seu dinheiro em caixa a partir do refinanciamento. Mas vale lembrar que o imóvel refinanciado estará temporariamente registrado no nome da instituição financeira que conceder o crédito através de alienação fiduciária, portanto, é importante se planejar e ser bem orientado para quitar o valor do empréstimo e garantir o retorno do seu bem.

  1. Como se planejar e organizar o seu capital de giro:

Quando você já entendeu onde precisa aplicar o seu dinheiro e de quanto precisa, se familiarizou com os passos do refinanciamento e enxergou que existem vantagens reais, é hora de se planejar!

Criar um arquivo de controle financeiro é o ideal, listando de quanto será o seu capital de giro nos meses que correspondem ao recebimento do crédito e qual é o valor das parcelas do refinanciamento. 

Nesta etapa, é importante entender as especificações de taxas e juros do mercado, e as que estarão inclusas na mensalidade. Além disso, tenha em mente a longevidade da sua empresa em contraponto com o tempo que você terá para quitar o valor do crédito. Alguns refinanciamentos podem possuir prazos de até 20 anos para pagar, o que te permitirá investir e em seguida quitar a sua dívida com o próprio lucro recebido, de maneira tranquila. 

Refinanciar é uma empreitada que vale a pena quando você se planeja, e o seu capital de giro pode ser a porta de entrada para a realização de outros planos. 

Não deixe de pesquisar e realizar simulações de refinanciamento e avaliação, que podem ser feitas com uma plataforma especialista em crédito, como a Keycash. 
Empreender exige segurança, por isso, é sempre bom contar com o apoio de quem entende do assunto. Para mais novidades e informação, siga nossas redes sociais ou entre em contato e faça uma avaliação.

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos.

    Você também pode gostar de: