Quais as diferenças entre as taxas de refinanciamento de imóvel e taxas de empréstimo?

Pessoas calculando taxas de refinanciamento.

Para entender melhor o mercado de crédito, especialmente quando envolve garantia de imóvel, é fundamental estar por dentro de possíveis taxas e eventuais juros. Assim, é possível planejar seu retorno e seu investimento, além de controlar melhor os seus prazos de pagamento. 

Antes de adquirir um empréstimo pessoal ou adotar outras linhas de crédito, se você tem uma propriedade registrada em seu nome, mesmo que ela já tenha sido financiada anteriormente, pode começar a cogitar o refinanciamento de imóvel, uma maneira segura e vantajosa de adquirir crédito. 

Por isso, preparamos este artigo para demonstrar um pouco das diferenças entre taxas no mercado, e te colocar por dentro dessas vantagens antes de optar por qual caminho seguir. 

  1. O que são taxas de crédito?
  2. Taxas de empréstimo contra taxas de refinanciamento de imóvel.
  3. As vantagens do refinanciamento de imóvel.
  1. O que são taxas de crédito?

As taxas de crédito são, literalmente, valores cobrados mensalmente sobre o valor emprestado. Além das taxas fixas (pré-fixadas), que são calculadas no momento da avaliação de crédito para o empréstimo, existem as taxas de reajuste (pós-fixadas), que podem ser incluídas no valor total mensal e sofrer alterações com base em critérios financeiros externos, como a TR – Taxa Referencial, e a Selic, ambas divulgadas anualmente pelo Banco Central, ou ainda o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, divulgado pelo IBGE, que é a inflação oficial.

São essas taxas pré e pós-fixadas que compõem a base para o cálculo das parcelas mensais do empréstimo, que sofrem reajustes de acordo com o saldo devedor e prazo até a quitação integral.

Para entender melhor estes reajustes, é preciso estar de olho nas mudanças do mercado, acompanhando as altas e baixas financeiras e mudanças nos valores de taxas e impostos ao ano. Outro fator importante é compreender as diferenças entre as tabelas SAC e Price, e a previsão de juros às quais os créditos podem ser submetidos através de cálculos somando todos os fatores já citados. 

Mas afinal, as taxas de crédito pessoal e refinanciamento de imóvel são as mesmas?

  1. Taxas de empréstimo X taxas de refinanciamento de imóvel:

Além dos fatores de cotação financeira, as taxas sobre crédito variam de acordo com a modalidade adotada. 

Em modalidades de crédito convencionais, como é o caso do empréstimo pessoal, onde um valor é repassado por uma instituição financeira sem garantia ou retenção de bens, as taxas podem atingir 27% de juros mensais, podendo chegar a 119% ao ano. 

Outras modalidades muito comuns, como o cheque especial, costumam atingir até 318% ao ano. 

Mesmo assim, essas linhas de crédito estão no topo das mais adotadas pelos brasileiros, tanto pela falta de conhecimento sobre modalidades diferentes, quanto pela insegurança ao realizar um refinanciamento de imóvel, por exemplo, que entre outras modalidades, costuma possuir as maiores vantagens. 

  1. As vantagens do refinanciamento de imóvel:

O refinanciamento de imóvel costuma ser uma das opções mais vantajosas para quem procura crédito seguro. Embora algumas pessoas ainda tenham resistência quanto a adotar essa modalidade, por não ser tão comum, ela é, ao contrário do que parece, menos burocrática e com todas as operações contratuais pré-estipuladas e garantidas por lei. 

Através da alienação fiduciária de sua propriedade, o interessado oferece confiabilidade e segurança no pagamento, podendo receber créditos mais amplos, que chegam, em alguns casos, a 85% do valor do imóvel, a depender de fatores como renda mensal e parcelas do empréstimo. 

Além disso, algumas vantagens do refinanciamento de imóvel podem ser vistas nos números mensalmente, de forma mais clara, e costumam ser determinantes para quem busca crédito para investimento, fundo de poupança, entre outras finalidades. Duas delas são essenciais: 

Juros muito mais baixos: que podem girar entre 1% a 2% ao mês, demonstrando enorme diferença em relação aos créditos comuns;

Prazos muito mais longos: em alguns casos, a depender da avaliação da situação de renda, valor avaliado do imóvel e das parcelas, é possível que o prazo para pagar completamente o empréstimo chegue a até 20 anos.

Algo para se estar atento é a relação do valor do crédito com a renda mensal do solicitante. A parcela de empréstimo deve atingir até 1/3 do seu rendimento líquido mensal, o que significa que se seu faturamento líquido por mês é de 3 mil reais, o valor da sua parcela mensal  deverá ser de no máximo  mil reais. 

Assim, estando ciente de juros, prazos e do seu retorno, fica mais fácil tomar uma decisão e colocar seus planos em prática!

Ficar sempre de olho nas taxas e no mercado financeiro é um hábito que pode ser treinado. Siga plataformas e canais informativos, pesquise muito e descubra qual é a melhor solução para você, mesmo que ela não seja a mais comum.

É importante se planejar, investir em uma plataforma de crédito ou instituição financeira especializada nesta modalidade de crédito para apostar no refinanciamento de imóvel com mais segurança e informação, e ver que ele pode ser muito mais vantajoso a curto e longo prazo. 

Se interessou? Confira mais vantagens, condições e saiba como dar entrada no refinanciamento de imóvel no nosso passo a passo descomplicado.

Para saber mais e investir com taxas mais suaves, fique atento às nossas novidades, redes sociais, ou entre em contato com a Keycash e faça uma avaliação. Linhas de crédito mais seguras exigem plataformas seguras.

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos.

    Você também pode gostar de: