IOF – Entenda tudo sobre o imposto e saiba como ficar de olho!

Homem calculando o IOF.

Na nossa missão de te ajudar a entender o mundo das finanças de um jeito descomplicado, e principalmente, oferecer conteúdo e crédito eficiente, nós temos desbravado o mundo dos impostos e das taxas que você paga. 

Isso porque, muitas vezes, ao se deparar com faturas, contratos ou informações, ignoramos que alguns termos geram um grande impacto em nosso dia a dia, e entendê-los é fundamental para construir uma vida financeira mais estruturada. 

Neste artigo, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o IOF, que é cobrado nas faturas de cartão de crédito e outras movimentações financeiras. Vem com a gente!

  1. O que é o IOF?
  2. Quando o IOF é cobrado?
  3. Qual é o valor do IOF?
  4. Como calcular o IOF?
  5. Como pagar menos pelo IOF?
  1. O que é IOF?

Criado em 1988, o IOF – Imposto Sobre Operações Financeiras – cobrado hoje só começou a ser implementado em 1994. Na época em que foi idealizado, a Receita Federal planejava estabelecer um controle sobre as aplicações no mercado financeiro, que eram descontadas em poucos dias e até horas, reduzindo o aproveitamento e rendimento desses valores em um período onde a inflação era alta e o valor do dinheiro variava muito.

Hoje, o imposto também funciona como fonte de arrecadação do Governo Federal, e serve como um termômetro para a economia, e principalmente as operações de crédito, do país. 

  1. Quando o IOF é cobrado?

Ele é cobrado especialmente em movimentações financeiras de crédito, câmbio, títulos e seguros. Algumas das operações comuns onde o imposto aparece são:

  • Compra e venda de moeda internacional;
  • Empréstimo ou financiamento;
  • Utilizar o cartão de crédito em compras estrangeiras;
  • Resgate de investimento;
  • Seguro;
  • Utilizar o cheque especial;

Com tudo isso, o IOF serve de termômetro para a economia porque, quanto mais imposto for arrecadado, mais operações foram realizadas. Isso não significa, necessariamente, crescimento da economia, uma vez que o imposto também é cobrado para empréstimos, o que pode ser um indicativo do aumento de dívidas. 

Além disso, é importante ressaltar que o valor do IOF varia.

  1. Qual é o valor do IOF?

O valor cobrado do imposto depende do tipo de operação realizada. Além disso, algumas porcentagens estabelecidas também contam com a soma de uma cota a mais para o imposto por dia, o que significa que, dependendo da operação, o IOF cobrado vai aumentando até o pagamento da fatura, como juros. 

Confira uma tabela com valores do IOF para diferentes operações:

OPERAÇÃOVALOR COBRADO
Compra e venda de moeda internacional1,1%
Empréstimo ou financiamento0,38% + 0,0082%* ao dia, com limite de 3%
Utilizar o cartão de crédito em compras estrangeiras6,38%
Resgate de investimento0 a 96% sobre os rendimentos
Seguro de vida0,38%
Seguro de bens7,38%
Utilizar o cheque especial0,38% + 0,0082% ao dia, com limite de 3%

Sabendo os valores do imposto para cada operação, é fundamental saber como realizar o seu cálculo. 

  1. Como calcular o IOF?

Para saber exatamente quanto está pagando e controlar melhor as finanças, é necessário descobrir qual é o valor exato do imposto na hora de pagar. É fácil: basta multiplicar o valor total da operação pelo IOF a qual ela corresponde. 

Assim sendo, se você realiza o seguro de um bem no valor de R$1.000, cujo IOF é de 7,38%, o valor do imposto a ser pago será de R$73,80.

Veja a conta:

1.000 X 0,0738 = 73,8

Assim, apesar de ser impossível fugir do IOF, sabendo o valor exato do imposto, é possível estabelecer um plano de controle para pagar menos sobre este valor.

  1. Como pagar menos pelo IOF?

Apesar de ser isento apenas em operações de financiamento imobiliário residencial, é possível realizar algumas práticas simples, ou, pelo menos, ficar atento a elas, para diminuir o valor pago por esse imposto que faz uma grande diferença na fatura do mês, a depender das suas movimentações.

Algumas maneiras básicas para evitar o IOF são:

  • Organize suas finanças para não cair no cheque especial, que além do IOF cobrado, tem uma das maiores taxas do mercado;
  • Caso faça alguma viagem internacional, evite fazer compras com cartão de crédito. Essas operações possuem uma das maiores taxas de IOF;
  • Pesquise muito o valor dos seguros que você pretende fechar, fazendo simulações e já contando com o valor do IOF ao calcular;
  • Ao realizar um financiamento ou entrar com pedido de crédito, procure uma empresa confiável e transparente sobre as taxas, e não deixe de calcular o IOF nas suas parcelas;
  • Ao realizar um investimento, seja no Tesouro Direto, CDB entre outros, espere até 30 dias para movimentar o dinheiro, o que reduz o IOF a zero. Quanto mais dias esperar para resgatar, menor o imposto, que vai de 96% a 0%.

Conhecer as taxas da economia é fundamental para todos que querem tomar as rédeas das suas finanças. Se você quiser saber mais sobre outras taxas e impostos, pode conferir nossos artigos:

O que é a Taxa Selic e como ela impacta a economia e os financiamentos?

O que é IPCA e como a inflação impacta a vida do brasileiro?

Saiba tudo sobre o IGP-M – cálculos, impacto e índices.

ITBI – Saiba tudo sobre o que é e quem precisa pagar!

E para contar com crédito e financiamento seguro e descomplicado, fale com a Keycash e fique sempre de olho nos nossos conteúdos!

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos.

    Você também pode gostar de: