Entenda o Fundo de Investimento Imobiliário – o que são os FIIs e como investir

Entenda o Fundo de Investimento Imobiliário - o que são os FIIs e como investir

Muita gente sonha em investir em imóveis, seja comprando diversas propriedades valorizadas, ou tendo o aluguel como renda. No entanto, essa nem sempre é uma tarefa simples, pois ela envolve diversos fatores, não apenas financeiros, mas também conta com desafios do mercado imobiliário. 

Por isso, para quem busca investir em propriedades e contar com mais praticidade, mais segurança e solidez, o Fundo de Investimento Imobiliário pode ser uma alternativa rápida e fácil. 

Por aqui, nós já falamos em diversos artigos sobre outras maneiras vantajosas de investir em propriedades – ou na sua propriedade -, através do refinanciamento de imóvel ou hipoteca. Se você quiser dar uma olhada nesses conteúdos, é só escolher:

Refinanciamento de imóvel: 5 dicas para fazer seu crédito render

Como funciona a hipoteca no Brasil?

Neste artigo, vamos descomplicar os FIIs, que vem crescendo como alternativa de investimento para diversas pessoas, especialistas na área ou não, e te explicar por que esta também é considerada uma boa opção.

  1. O que é Fundo de Investimento?
  2. O que são os FIIs?
  3. Rendimento dos Fundos Imobiliários;
  4. As vantagens de investir em imóveis.
  1. O que é Fundo de Investimento?

Um Fundo de Investimento nada mais é do que uma forma de aplicar dinheiro de maneira coletiva. Isso significa que, quando uma pessoa investe em um fundo, ela não é a única, o que pode tornar o investimento mais barato, e também aumentar as chances de valorização. 

Os Fundos de Investimento são administrados por um gestor, que fica responsável por dividir o investimento em partes, também chamadas de cotas. O gestor avalia o valor dessas cotas e as “vende” para os investidores, assim como fica encarregado de repassar os rendimentos. 

Cada investidor recebe o mesmo valor de rendimentos sobre cada cota, o que significa que o que determina quem ganha mais e quem ganha menos é a quantidade de cotas em que você investe, ou seja, quantas partes você compra.

Existem diversas modalidades de fundos de investimento: multimercado, de renda fixa, de ações, imobiliário… Este último, também chamado de FIIs, é o nosso assunto!

  1. O que são os FIIs?

Os FIIs – Fundos de Investimentos Imobiliários, são fundos coletivos que têm como objetivo oferecer uma porta para quem quer investir na área imobiliária, tanto em empreitadas como shoppings, hospitais, condomínios e outros projetos, quanto em títulos. Há diferentes tipos de FIIs no mercado, os principais deles são os de tijolo e de papel. 

Os fundos imobiliários de tijolo: são os investimentos feitos diretamente em construções físicas, prontas ou não, como hotéis, prédios empresariais, universidades…

Os fundos imobiliários de papel: são investimentos baseados na compra de títulos imobiliários, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e Letras de Crédito Imobiliário (LCIs). 

Quando você investe na cota de um imóvel ou título imobiliário, se torna uma espécie de “dono” titular de parte dele. Desta maneira, seus rendimentos deste investimento vem de quanto esse imóvel render. 

  1. Rendimento dos Fundos Imobiliários:

Os FIIs são negociados na Bolsa de Valores, sendo assim, os rendimentos podem variar entre altos e baixos com o tempo. O gestor de FIIs fica responsável por distribuir esses lucros. 

Apesar dos riscos, a maneira mais fácil de lucrar com Fundos de Investimentos Imobiliários é comprar mais cotas. Por isso, essas são as principais coisas a analisar antes de investir: os riscos do imóvel, avaliando quem é o gestor, seu histórico e valorização do título investido, e o valor mínimo das cotas. 

Além disso, existem três maneiras de lucrar com os FIIs. São elas:

Valorização da cota: cada investidor compra cotas, que são negociadas na Bolsa, enfrentando oscilações do mercado. Quando aquele investimento está em alta, acontece a valorização das cotas, ou seja, seus preços ficam mais caros. Isso significa, em um exemplo prático, que se uma cota foi comprada por R$100 e é valorizada a ponto de custar R$200, o investidor teve 100% de lucro. 

Os rendimentos desse formato dependem inteiramente do sucesso do mercado, e por isso, antes de investir, é importante ficar de olho na flutuação da economia e nas tendências para as finanças. 

Se você quer entender melhor esses altos e baixos, chamados de ciclos econômicos, pode conferir nosso artigo:

Ciclo econômico – como funciona e como realmente afeta seus investimentos e crédito

Dissolução do fundo: Esse formato de lucro com FIIs é o mais raro. Ele só ocorre quando o imóvel investido é completamente vendido. Dessa forma, os valores da negociação são repassados aos investidores, a depender do número de cotas compradas. Cada um recebe o rendimento correspondente à parte a que tem direito. 

Aluguel: Essa é talvez a maneira mais comum de lucrar através dos fundos imobiliários. Nela, o aluguel pago dos investimentos imobiliários é repassado aos investidores também conforme suas cotas. 

Assim, é fácil saber que as oportunidades de lucratividade são seguras, desde que se investigue corretamente tanto a situação atual do mercado, quanto o gestor do investimento e o empreendimento. 

  1. As vantagens de investir em imóveis:

Para quem quer investir na área imobiliária, apostar nos Fundos de Investimento pode acabar sendo mais prático e vantajoso do que comprar um imóvel, por exemplo. Isso porque, na aquisição de uma propriedade, além da burocracia e da alta quantia necessária, existe também a espera pela valorização do imóvel e o “congelamento” do rendimento, que fica todo reservado à propriedade, e o que for possível extrair dela. 

Já nos FIIs, os rendimentos vêm dos investimentos, o que torna as possibilidades mais amplas.

Sendo assim, o Fundo de Investimento Imobiliário têm diversos pontos positivos:

Praticidade: por se tratar de um investimento gerido por especialistas, você não precisa aplicar seu tempo na administração dos fundos nem das propriedades, além de contar com bem menos burocracia;

Segurança: ao investir em um fundo, você se torna uma espécie de “sócio”, o que garante a confiança em um negócio sério, que conta com administradores e toda a responsabilidade de uma empreitada imobiliária;

Grandes investimentos: o Fundo Imobiliário permite que você invista em grandes empreendimentos, até mesmo famosos, como clubes, shoppings, hospitais, com diversas oportunidades de lucratividade, principalmente se você comprar um maior número de cotas;

Flexibilidade: com os FIIs, você pode investir em diversos imóveis, de vários segmentos, o que acaba atraindo mais oportunidade de rentabilidade;

Valor mínimo: alguns investimentos podem ter valores mínimos que vão de R$100 a R$150 reais, o que não é muito quando comparado a outros investimentos, e também pode render rápido.

No entanto, apesar das vantagens, lembre-se de avaliar os riscos para seu dinheiro, e de ter segurança no período financeiro antes de apostar em empreendimentos. A Bolsa é instável, e é preciso estar atento aos seus altos e baixos. Por isso, antes de começar a fazer parte dos Fundos de Investimentos Imobiliários, não se esqueça de estudar bem o mercado!

Para saber mais sobre outros investimentos, garantias e encontrar a melhor oportunidade, você também pode gostar dos nossos conteúdos:

CDBs e RDBs – O que são e qual a diferença?

Educação financeira e crédito imobiliário – como aprender para investir;

O que é FGC? – Como funciona e o que é garantido.

Não deixe de ficar de olho na Keycash para saber tudo sobre o mercado financeiro, desvendar termos e modalidades e garantir crédito descomplicado e seguro.

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos.

    Você também pode gostar de: