Crédito com garantia de imóvel cresce em 2021

Homem solicitando crédito com garantia de imóvel.

O mercado de crédito imobiliário vem crescendo desde o ano de 2019. Com a chegada da pandemia, inicialmente a estimativa era de que este segmento passaria por uma queda em seus resultados, mas a força das vantagens dos investimentos em financiamento e refinanciamento se tornaram proveitosas e surpreenderam o mercado. 

Os dados apontam que mais pessoas estão buscando esse recurso, que se mostra cada vez mais seguro, principalmente em plataformas de crédito online. 

Desta forma, o crédito com garantia de imóvel foi uma das modalidades de empréstimo mais procuradas em 2020, e também em 2021, sendo,  sem dúvidas, a mais vantajosa para todos os lados. Para entender melhor este cenário, preparamos um artigo que explica a situação atual e os motivos para esta alta. 

  1. O crescimento do mercado de crédito imobiliário;
  2. Taxas e juros com a alta do mercado imobiliário;
  3. As vantagens do crédito imobiliário.
  1. O crescimento do mercado de crédito imobiliário:

Com o cenário financeiro e social atual e a segunda onda da pandemia no Brasil, o que afetou a economia nacional, é natural que a procura por empréstimos cresça e que os solicitantes estejam mais cautelosos em relação a dívidas. 

Ainda assim, talvez por uma necessidade na procura por outras alternativas, pelas apostas crescentes em investimentos próprios e a valorização da tecnologia, o mercado do crédito com garantia de imóvel mostra um padrão de crescimento que há muito não era presenciado. 

Em 2020, por volta de 2,8 bilhões de solicitações desse segmento de crédito foram realizadas em fintechs. As plataformas de crédito online investem na segurança de seus clientes e no contato menos burocrático, mais prático e que se adequa às necessidades reais.

Segundo a ABECIP – Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, enquanto a expectativa para o crescimento de financiamentos era de 32% no ano de 2020, esse número bateu um recorde inédito desde 2014, atingindo a marca importante de 57,5%. Isso mostra, que o mercado de crédito com garantia de imóvel não apenas se mantém estável, como vem crescendo. 

Ao analisarmos o histórico dos últimos, vemos que a partir do segundo semestre de 2020, o ritmo de crescimento do CGI impressiona. São 88% de crescimento no número de novos contratos, quando comparado com o mesmo período de 2019. E o início desse ano sustenta a forte tendência de crescimento, com 61% a mais de contratos quando comparado com 2020.

Fonte: Abecip; Elaboração: Keycash

A aposta de investidores na modalidade, antes pouco comum no Brasil, vem demonstrando que as vantagens do financiamento e refinanciamento de imóveis têm tomado os experts brasileiros e os interessados por finanças e investimentos, assim como aqueles que buscam crédito seguro e com menos taxas e juros. 

E por falar em taxas e juros, será que o crescimento do mercado indica que eles estão mais baixos? 

  1.  Taxas e juros com a alta do crédito imobiliário:

Enquanto o Banco Central havia estimado que as taxas do mercado não sofreriam acréscimos, uma vez que tinham a recente expectativa gerada pela alta e estabilidade do mercado de empréstimos imobiliários em 2020, esse cenário mudou logo no primeiro semestre deste ano. 

O compromisso do BC em manter a taxa Selic em seus 2% ao ano foi rompido, causando, consequentemente, aumento nos juros imobiliários. Mesmo assim, quando comparada a outros anos, essa crescente é baixa. Em 2017, a média de juros para financiamento era de 11% ao ano, e agora, a estimativa é que ela não passe de 7%. 

Mesmo encarando esse segundo acréscimo do ano, de 0,75 pontos porcentuais, na taxa Selic – que passou de 2,75% a 3,5%, definida pelo Copom no dia 5 de maio de 2021 – o mercado de crédito imobiliário se mantém consistente com o recente crescimento e a procura dos investidores por alternativas mais seguras e pagamentos a longos prazos. Esses fatores se mostram necessários no cenário atual, para quem busca retorno rápido e mais tranquilidade para quitar as dívidas. 

A alta na taxa, se não prevista, era esperada, mas a estimativa para 2021, com base na visão do primeiro semestre do ano e nos rastros do ano passado, é de que o mercado de crédito com garantia de imóvel atinja um crescimento de 21% a 27% até dezembro.

Mas afinal, quais são as vantagens dessa modalidade e por que a procura por ela tem crescido?

  1. As vantagens do crédito imobiliário:

Além das taxas e juros mais baixos, investidores têm buscado maiores prazos. O financiamento e refinanciamento podem render uma extensão de 20 anos para pagar a dívida, a depender da instituição financeira e da quantia de crédito concedida. 

Enquanto os juros para outras modalidades de empréstimo, principalmente com a Selic passando por seu segundo acréscimo, podem atingir a marca de três dígitos, o crédito imobiliário pode oferecer, mesmo com a alta das taxas, juros anuais que giram em torno de 20 pontos porcentuais. 

O crédito com garantia de imóvel também oferece recursos mais amplos, que podem chegar a 60% do valor total do imóvel em refinanciamento, por exemplo.  

Outro fator que contribui para a tomada de decisão por parte do investidor é a possibilidade de negociação. Empréstimos com garantia de bens imobiliários tendem a ser mais flexíveis, e os prazos e juros mais facilmente negociados, além de possuir processos muito menos burocráticos. 

Se você pensa em investir ou precisa de um fundo de segurança através de crédito rápido, seguro e menos burocrático, aposte no crédito imobiliário. 

Para entender o passo a passo do refinanciamento, leia nosso artigo sobre o tema. Fique sempre de olho nas redes sociais e nas novidades e notícias da Keycash, a plataforma de crédito que te ajuda a entender o mundo das finanças de maneira descomplicada e segura. 

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos.

    Você também pode gostar de: